Versos Ofídicos

Algumas linhas ofídicas (mas não ofensivas), venenosas (mas não mortais)...

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

A Mala de Pandora*

Pandora arrumava-se vaidosamente a fim de estar bonita para o último dia de aula. Dentro em breve estaria na 8ª série e queria aproveitar todos os derradeiros momentos do ano letivo. Ajeitava seus pertences para encher a mala para, de lá mesmo da escola, partir para sua colônia de férias.
Separava roupas, remédio e bijouterias; vaidosa, não esqueceu seu batom e um pequeno espelho para satisfazer sua necessidade narcísica. Levaria também sua revista favorita, seu livro de cabeceira, seus documentos, caneta e papel para eventual anotação, além de uma agenda para começar a se programar para o próximo ano e dinheiro para suprir seus caprichos consumistas.
Qual não foi sua admiração quando, ao abrir a mala para enchê-la com seus objetos pessoais, uma luz branca reverberou bolsa afora expelindo abstrações que insuflaram o corpo e a alma de Pandora com sensações inexprimíveis. Amor, sabedoria, conhecimento, certeza... esperança. Antes que uma grande interrogação assomasse Pandora, ela lembrou-se com orgulho da professora Sofia, sua fonte de saber.
Tudo em ordem, partiu feliz em direção à escola.

______________________________________________________________

* Texto produzido em 13/02/2007 na oficina Desafios na Formação do Leitor, conduzida pela professora de Língua e Literatura da Redacta, Lana Sheila. O exercício foi um desafio oferecido por ela de escrever, em 10 minutos, um texto com as palavras destacadas, que haviam sido ditas pelos participantes da oficina quando perguntados sobre o que não deixariam de levar em uma viagem.

3 Comments:

  • At 28/2/07 6:14 PM, Blogger ane said…

    Nossa...quanta imaginação!!!

    Palavras soltas q se trasformaram num belo e criativo texto!!!

    Parabéns!!!1

     
  • At 1/3/07 12:25 AM, Blogger Ricardo Ferreira said…

    Quem vem primeiro: Sofia ou as perguntas? As perguntas ou Sofia? E cabe outra interessante reflexão: De onde teria vindo a luz?

    Gostei muito.

    Abraço, Rafa!

     
  • At 22/3/07 9:36 PM, Anonymous Rafael Carvalho said…

    E ai Rafael, tudo bem?
    Eu sou o outro Rafael do Cinematógrafo XXI. Glauber é incrível, nao é? Embora tenha visto pouca coisa dele, Terra em Transe é um dos q eu gosto mais. O discurso social e politico q ele faz é muito interessante e, como vc disse, muito atual. Acredito q o uso q ele fez da linguagem cinematografica é uma marca única. Valeu pelo comentario e gostei bastante dos textos de seu blog. Ate mais!

     

Postar um comentário

<< Home